Alimentação fora do lar Alimentação Adaptação à nota fiscal eletrônica no varejo deve movimentar R$ 1 bilhão...

A Afrac (Associação Brasileira de Automação Comercial) estima que, no ano que vem, varejistas investirão R$ 1 bilhão em recursos de automação, sobretudo para se adaptar à implantação da Nota Fiscal ao Consumidor-Eletrônica (NFC-e) em suas lojas. Em sua maior parte, o valor será aplicado na compra ou adaptação de sistemas físicos e eletrônicos para a emissão da nova nota fiscal, que dispensa impressoras certificadas e homologadas.

Em 2014 serão 3,5 milhões de emissões

Estima-se que cada ponto de venda invista, em média, R$ 2,5 mil nas novas soluções. A NFC-e já é utilizada nos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Sergipe, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Maranhão e Amazonas. Neste último, que foi o primeiro a implantar o recurso, todos os varejistas deverão estar utilizando a nova nota fiscal até o fim de 2014.

Segundo Roberto Dias Duarte, consultor especialista em tecnologias tributárias e documentos digitais, em 2013 será emitido 1 milhão de NFC-e. Um bom avanço em relação a três anos antes, quando apenas 373 mil foram lançadas. No ano que vem, o número mais que triplica, saltando para 3,5 milhões de emissões.

Muita facilidade com alta tecnologia

A nota fiscal eletrônica pode ser enviada diretamente ao e-mail do consumidor no momento da compra. Ou emitida em uma impressora comum, que, diferentemente das utilizadas na emissão de cupons fiscais, não precisam ser homologadas. Basta apenas ter um computador com software integrado à Secretaria da Fazenda do respectivo Estado para o envio das informações. Assim, a adoção do recurso também visa combater a sonegação fiscal. A tecnologia oferece, ainda, outras vantagens: a rápida abertura de checkouts desativados em dias de grande movimento e a integração com pagamentos por dispositivos móveis e com comércio eletrônico, por exemplo. “A grande mudança é tirar o foco do hardware [equipamentos físicos] e colocar no software [programas eletrônicos], algo intangível. A tecnologia vai permitir inovação e criação de novos serviços aos clientes”, afirma Duarte.

faixa_face-1

Deixe uma resposta