Indústria da Alimentação Indústria Associação mineira cria selo para indicar segurança alimentar em aves resfriadas

A Avimig (Associação dos Avicultores de Minas Gerais) lançou em fevereiro o selo “Criação de Aves sob Controle”. A expectativa é de que as indústrias avícolas adotem o selo tanto em campanhas publicitárias como na rotulagem dos produtos. O objetivo é levar ao consumidor informações que mostrem que o frango produzido no País é um alimento seguro, dentro dos mais rigorosos padrões de qualidade e, principalmente, sem hormônios.

Frango sem hormônios e conservantes

O selo surge, segundo a Avimig, como uma forma de esclarecimento, “por conta de uma publicidade equivocada veiculada em canal aberto de televisão”. A propaganda, na opinião da entidade, induz o consumidor a pensar que apenas uma marca de frango congelado (Sadia) seria a única do País a utilizar ave sem hormônio, disseminando a falsa ideia de que outras marcas utilizariam substâncias ilegais nas carnes, causando danos à saúde.

Para Antônio Carlos Vasconcelos Costa, presidente da Avimig, o lançamento vem em um momento oportuno. “As campanhas publicitárias de empresas do segmento de avicultura deveriam informar à população brasileira que não são utilizados hormônios e conservantes na produção da carne de frango produzida no Brasil de maneira geral, e não favorecendo a uma marca anunciante”, disse Vasconcelos, em nota de esclarecimento.

Selo terá papel educativo

Diante do fato, no início do mês o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) autorizou as indústrias avícolas a utilizarem a frase “Sem uso de hormônio, como estabelece a legislação brasileira” nos rótulos dos produtos.

Criado pela empresa Sob Controle Consultoria e Capacitação, o selo traz informações importantes para orientar o consumidor na hora de escolher o produto. De acordo com o diretor da empresa, Nelmon Oliveira da Costa, o selo terá papel educativo, de esclarecimento ao consumidor sobre o sistema de criação de aves no Brasil.

faixa_face-1

Deixe uma resposta