Ocorre entre os dias 06 à 14 de outubro o CONABARES (Congresso Nacional de Bares e Restaurantes). O evento é totalmente online e gratuito, e é voltado para todos os profissionais da área de alimentação fora do lar e gestão de bares e restaurantes.

Democratizador de conteúdo para o setor

CONABARES

O congresso contará com um grande número de especialistas da área no Brasil. O congresso tem foco em solucionar, através do compartilhamento de conhecimentos, questões que permeiam o dia a dia e vão ajudar as pessoas a melhorar seus produtos e serviços de seus bares e restaurantes. Marcelo Victor, criador do Conabares, é empresário do ramo digital e conta que a ideia de montar o evento veio de uma experiência familiar.

“Durante muitos anos meu pai foi dono de vários estabelecimentos comerciais. Por problemas administrativos e falta de conhecimento acabou perdendo seus negócios depois de mais de vinte anos de trabalho árduo. Decidi criar este evento porque quero ajudar os empresários do setor a não passar por essa dificuldade”, explica Marcelo Victor.

O empresário salienta a importância do Conabares como democratizador de conteúdo para o setor. “O grande diferencial do evento é que ele será realizado totalmente online, o que permite com que qualquer empresário da área possa se informar com conteúdos de qualidade e extremamente relevantes”, enfatiza.

Destaque para Mauricio Schuartz

Um dos destaques do evento é o Mauricio Schuartz que abrirá o evento na segundafeira 6 de outubro às 20:00 horas, criador do Chefs de Rua e da Feirinha Gastronômica, ele abordará o tema “O Segredo do Sucesso da Feira Gastronômica”, onde irá mostrar todos os cuidados que devem ter quem deseja participar ou realizar esse tipo de evento. Além de Mauricio Schuartz, o Conabares contará com chefs e especialista do setor de vários estados do país.

Para este ano, a expectativa é receber 76 mil pessoas, sendo eles profissionais do setor de bares e restaurantes, hotéis e formadores de opinião. O evento é gratuito e os interessados podem se inscrever pelo site www.conabares.com.br

1º CONABARES Congresso Nacional Bares e Restaurantes – Data: 06 à 14 de outubro – Horário: 10h às 22h00 – Local: Totalmente online – Inscrições gratuitas no site: www.conabares.com.br

faixa_face-1

Evento gratuito é voltado para profissionais da área. Ocorre entre os dias 06 e 14 de outubro o 1º CONABARES (Congresso Nacional de Bares e Restaurantes). O evento é totalmente online e gratuito, e é voltado para todos os profissionais da área de alimentação fora do lar e gestão de bares e restaurantes. O congresso contará com 40 dos maiores especialistas da área no Brasil.

Democratizador de conteúdo para o setor

CONABARESO congresso tem foco em solucionar, através do compartilhamento de conhecimentos, questões que permeiam o dia a dia e vão ajudar as pessoas a melhorar seus produtos e serviços de seus bares e restaurantes. Marcelo Victor, criador do Conabares, é empresário do ramo digital e conta que a ideia de montar o evento veio de uma experiência familiar. “Durante muitos anos meu pai foi dono de vários estabelecimentos comerciais. Por problemas administrativos e falta de conhecimento acabou perdendo seus negócios depois de mais de vinte anos de trabalho árduo. Decidi criar este evento porque quero ajudar os empresários do setor a não passar por essa dificuldade”, explica Marcelo Victor.

Destaque para o Chef JP

O empresário salienta a importância do Conabares como democratizador de conteúdo para o setor. “O grande diferencial do evento é que ele será realizado totalmente online, o que permite com que qualquer empresário da área possa se informar com conteúdos de qualidade e extremamente relevantes”, enfatiza.

Um dos destaques do evento é o Chef João Paulo Papandré Lemos mais conhecido como Chef JP. Arquiteto de formação, ele abordará o tema “arquitetando na cozinha”, onde irá mostrar como reconstruir alguns pratos típicos da cozinha nacional. Além de JP, o Conabares contará com chefs e especialista do setor de praticamente todos os estados do país.

Para este ano, a expectativa é receber 76 mil pessoas, sendo eles profissionais do setor de bares e restaurantes, hotéis e formadores de opinião. O evento é gratuito e os interessados podem se inscrever pelo site www.conabares.com.br

1º CONABARES – Congresso Nacional Bares e Restaurantes – Data: 22 à 28 de setembro – Horário: 10h às 22h00 – Local: Totalmente online – Inscrições gratuitas no site: www.conabares.com.br

faixa_face-1

As cozinhas são locais que naturalmente apresentam diversos riscos à nossa segurança e à nossa saúde. Agora, se uma cozinha tradicional de uma casa, com apenas um fogão e algumas facas de corte já concentra certa periculosidade, imagine então a dimensão dos riscos presentes dentro de uma cozinha profissional.

A correta utilização dos equipamentos

Para os funcionários de cozinhas profissionais a exposição aos riscos capazes de afetar a saúde devem ser sempre minimizados. Fatores como desatenção, imprudência, imperícia e inexperiência na realização de tarefas, associados aos riscos já presentes dentro do ambiente de uma cozinha profissional, infelizmente contribuem e muito para o acontecimento de acidentes diversos.

Um fator determinante para a manutenção da segurança dos trabalhadores de cozinhas profissionais é a correta utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), afinal eles foram criados especificamente para minimizar os riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde dos trabalhadores na realização de suas funções profissionais.

Além disso, o uso dos EPI’s é obrigatório por lei, conforme dispõe a Norma Regulamentadora 6 do Ministério do Trabalho e do Emprego, que especifica que, além da distribuição dos EPIs corretos para cada função a ser executada pelos trabalhadores, também há a obrigação por parte dos empregadores de fornecer informações pertinentes ao uso e ao armazenamento correto desses equipamentos.

Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI)

Assim, para os trabalhadores de cozinhas, a utilização dos equipamentos de proteção individual, como os calçados e botas de segurança, aventais, máscaras, toucas e, principalmente, das luvas de proteção, são de extrema importância.

As luvas de proteção, aliás, são decisivas na proteção das mãos e dos braços dos funcionários de cozinhas e demais setores industriais. Modelos como as luvas de vaqueta para câmera fria, luvas de vaqueta mista e luvas de vaqueta total, assim como as luvas em malha de aço, luvas anticorte com fios de aço, luvas de látex, luvas térmicas, luvas nitrílicas, luvas de PVC e luvas de raspa devem estar disponíveis a todos os funcionários, de acordo com a função executada.

Todavia, é importante ressaltar que não basta somente o uso de uma luva de proteção qualquer. O equipamento deve ser sempre de qualidade, conter todas as aprovações técnicas de segurança e ser proveniente de uma loja com qualidade, experiência e credibilidade no mercado.

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).  A Lei 6514 de dezembro de 1977, que é o Capítulo V da CLT, estabelece a regulamentação de segurança e medicina no trabalho.

A Seção IV desse capítulo, composta pelos artigos 166 e 167, estabelece a obrigatoriedade de a empresa fornecer o EPI gratuitamente ao trabalhador, e a obrigatoriedade de o EPI ser utilizado apenas com o Certificado de Aprovação

(CA) emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Vide por exemplo o Artigo 166 – A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, equipamentos de proteção individual adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes e danos à saúde dos empregados.

A legislação referente às questões de segurança e saúde do trabalhador (Lei 6514, NR 6 e NR 9) podem ser obtidas no sítio do Ministério do Trabalho e Emprego, na internet: www.mte.gov.br

Os procedimentos para avaliação de conformidade de produtos e a legislação correspondente podem ser obtidas no sítio do INMETRO, na internet: www.inmetro.gov.br.

faixa_face-1

Equipe de profissionais especializados no Food Service. Equipe atuante ostensivamente na área da Alimentação Fora do Lar (Food Service) possuidora de especialização e conhecimentos avançados no setor. O maior portal segmentado da área da alimentação brasileira. Integram o banco de dados do portal mais de 35.000 estabelecimentos do Food Service de todo o Brasil, tais como: Restaurantes, Fast Food, Quick Service, Padarias, Bares, Lanchonetes, Hotéis e Cozinhas Industriais.

Mais de 100 mil formadores de opinião

O Portal Alimentação Fora do Lar tem em sua comunidade de relacionamento um expressivo grupo de profissionais da área gastronômica distribuídos pelo Brasil inteiro que é constituído por donos de estabelecimento (20%), Chefs de cozinha (50%), cozinheiros (15%), nutricionistas (15%), engenheiros de alimentos (5%). Este universo somado totaliza 101.954 profissionais especialistas e formadores de opinião na área de gastronomia que interagem com as informações, matérias e ações do Portal diariamente. Este público gerou no último mês 234.440 acessos.

O Portal presta serviços de marketing direto na internet, realizando ações para divulgação de produtos e marcas através de e-mail.

Dentre os serviços  prestados, estão:

  • Envio de mensagens e Identificação de potenciais Clientes;
  • Seleção de prospects para as ações;
  • Notícias no Portal (dicas de alimentação e lançamentos) marketing digital;
  • Remessa de e-mails marketing (newsletters);
  • Espaços para publicidade (banners) nas páginas do Portal;
  • Distribuição de release das matérias para outros veículos

Você sabe por quê milhares de empresas, de todos os segmentos de negócios, estão atualmente optando pela divulgação de seus produtos e serviços através de campanhas de email marketing?    Ver mais

 

A empresa que oferece soluções em embalagem diferencia atuação na internet oferece conteúdo aos seus clientes. Na era da informação disseminada pela tecnologia, o conteúdo compartilhado por pessoas e marcas tem mais valor do que qualquer propaganda, sobretudo na internet.

Formato de e-books ou whitepapers

Pensando nessa realidade, a MULTIVAC, empresa líder mundial no desenvolvimento de soluções para embalar a vácuo e ATM, buscou uma forma de diferenciar sua atuação no meio online e está investindo na ferramenta de marketing de conteúdo, a fim de potencializar a sua geração de leads.

MULTIVAC I

A ação consiste em oferecer um conteúdo relevante de interesse dos clientes por meio da internet, com informações que podem ser úteis em seu dia a dia. Com o objetivo de conhecer mais sobre determinado assunto, o cliente faz o download desse material, geralmente no formato de e-books ou whitepapers, e acaba tendo a marca como referência de informação naquele tema, gerando um ganho de imagem institucional à empresa. “Possuímos mais de 50 anos de experiência no desenvolvimento de soluções para embalar, por conta dessa atuação temos muita informação que pode ajudar as empresas no dia a dia, que, muitas vezes, nem conhecem o quanto a embalagem pode fazer a diferença na hora de comercializar o seu produto”, conta o Diretor Michael Teschner.

A empresa criou uma plataforma exclusiva para seu marketing de conteúdo que está ligada ao seu site principal, onde compartilhou seu primeiro e-book falando sobre os melhores tipos de embalagens para comercializar um produto, dando dicas de formatos de embalagem, conservação de alimentos e até sobre o uso de máquinas. E o retorno da ação não é apenas institucional, já que a empresa obtém o contato das empresas interessadas.

MULTIVAC III

“Para fazer o download do material a empresa precisa deixar seus dados de contato, é o único pedido da ação, pois o conteúdo é gratuito. Dessa forma, podemos desenvolver um relacionamento com esse cliente em potencial, continuar a compartilhar conteúdo, e até fazer negócio. Ou seja, é uma forma de gerar leads para a empresa”, destaca Michelle Conz Coordenadora de Marketing.

O marketing de conteúdo da MULTIVAC pode ser conhecido pelo site http://www.solucoesparaembalar.com.br/. Clique aqui

O potencial da ferramenta

A ação de marketing de conteúdo tem sido adotada por várias empresas de diversos segmentos por conta de seu grande potencial para geração de leads. De acordo com uma pesquisa divulgada pela Web Estratégica, empresa especializada em marketing de conteúdo, 90% dos consumidores ouvidos afirmou que o conteúdo customizado pela marca é útil, e 78% deles acham que as marcas produtoras de conteúdo estão interessadas em construir boas relações.

O comportamento dos consumidores no meio online explica tamanha aceitação. Afinal, ainda segundo a pesquisa, 329 milhões de pessoas leem blogs todos os meses. São consumidores ávidos por conteúdo de qualidade que agreguem algo em seu cotidiano. Enquanto para as marcas isso representa um ganho significativo; a pesquisa também mostra que 63% das empresas que postam conteúdo afirmam ter aumentado sua eficácia em marketing.

MULTIVAC II

O diferencial dessa ferramenta é proporcionar à organização a oportunidade de oferecer o seu conhecimento como utilidade para a vida do consumidor ao invés de bombardeá-lo o tempo todo apenas com mensagens de venda. No caso da MULTIVAC, o interesse está em compartilhar como o bom tratamento com a embalagem de um produto faz a diferença no lucro das empresas.

Presente em mais de 160 paises

Com uma história de mais de 50 anos, filiais em 75 países e uma rede de distribuição que abrange mais de 160 países, a MULTIVAC é líder mundial no desenvolvimento de soluções e na fabricação de máquinas para embalagens a vácuo e atmosfera modificada, atendendo desde a indústria de alimentos e bens de consumo até a de artigos médicos e hospitalares.

Possui fábrica com centro de aplicação em Curitiba (PR) e a sede com showroom em Campinas (SP), marcando presença na venda de máquinas no Brasil há mais de quatro décadas, com filial no país desde 2009.

faixa_face-1

A marca da JBS Foods traz para o mercado brasileiro o primeiro Food Truck de uma empresa de alimentos com conexão direta nas redes sociais. A Seara apresenta o primeiro Social Food Truck do mundo, no Brasil, nesta quinta-feira, dia 25. A primeira parada será na Sunset Comunicação (Rua Texas, 676, São Paulo), das 11h às 15h.

Troca a refeição através de uma moeda social

As pessoas poderão degustar uma das três opções de pratos do cardápio que foi especialmente preparado para a ação. O projeto Social Food Truck Seara faz parte da inovação e investimento de marketing na construção de marca e qualidade dos produtos Seara através da experimentação e interação nas redes sociais. O movimento inicia em São Paulo e a expectativa é que chegue em outras praças nos próximos anos.

“A Seara identificou o grande momento que o Food Truck está passando no Brasil. Muito mais do que trazer um carro gastronômico, nosso objetivo é surpreender as pessoas com uma experiência diferenciada e realmente se conectar com a marca. Pensando nisso, criamos o primeiro Social Food Truck do mundo, em que a pessoa troca a refeição através de uma moeda social, ou seja, com um compartilhamento ou uma postagem nas redes sociais. Também é possível incluir um depoimento sobre a percepção do prato que degustou e a experiência que vivenciou”, explica Eduardo Bernstein, diretor de marketing da JBS Foods.

Novo formato para degustação

FOOD TRUCK SOCIAL cardápio

Um dos pilares da marca é qualidade e com o Social Food Truck Seara será possível impactar mais pessoas por meio da experimentação de pratos exclusivos desenvolvidos com os produtos da Seara. O intuito é impactar o consumidor e também atingir a rede social dele – que os amigos vejam o compartilhamento e que essa publicação estimule a curiosidade e a vontade em degustar o cardápio do Social Food Truck Seara e, consequentemente, os produtos da marca.

Para Pipo Calazans, vice-presidente de Criação da Sunset Comunicação, agência que desenvolveu com a Seara o Social Food Truck, o grande insight do projeto é a capacidade de levarmos a experiência da degustação real para as plataformas sociais potencializando o alcance da degustação.

“Queremos fazer parte do movimento Food Truck, e conseguimos isso ao lançar o primeiro Social Food Truck do mundo. Estamos muito satisfeitos e orgulhosos de conseguirmos inovar e trazer a conexão online para o Food Truck. A logística é bem simples, por meio de um Ipad a promotora oferece o cardápio para as pessoas que estão na fila e pede para que elas se conectem com o Facebook. A pessoa tem a opção de autorizar a postagem com uma foto do prato escolhido ou com uma foto da ação do Food Truck no local que está estacionado. O processo é muito rápido e simples, a nossa intenção é atingir o maior número de pessoas possível até o final do ano”, afirma o executivo.

Experimentar Seara e dividir a experimentação com os amigos nas plataformas sociais é o objetivo do Social Food Truck Seara. Estamos criando uma plataforma pioneira e inovadora de comunicação que agrega a interação social através da experimentação dos produtos. O resultado é a interação de mais pessoas com essa experiência gastronômica da marca”, finaliza Eduardo Bernstein, diretor de marketing da JBS Foods.

A contagem de interações – curtidas e compartilhamentos – nas redes sociais será realizada por meio da plataforma “likometro”, o contador ficará em cima do carro disponível para visualização por todo o trajeto e paradas.

A agenda dos lugares onde o Social Food Truck Seara vai estar estacionado estará disponível a partir do dia 26/09 em www.searafoodtruck.com.br e também será compartilhada no Facebook da Seara: https://www.facebook.com/SearaBrasil. A cada mês um novo cardápio será criado para novas degustações.

Seara marca tradicional, presente há mais de 50 anos no mercado e na mesa dos brasileiros, a Seara, adquirida pela JBS Foods, é a marca de produtos alimentícios do Brasil com total compromisso com a alta qualidade, e oferece um amplo portfólio nos segmentos de carnes de aves e suínos in natura, alimentos preparados e industrializados. A Seara conta com infraestrutura moderna e mão de obra altamente especializada, o que garante excelência no padrão de qualidade.

faixa_face-1

 

Para 52% dos representantes do setor privado, expansão da atividade será maior se houver transição política. De acordo com a pesquisa interativa da Amcham no seminário ‘Brasil 2015 – Perspectivas para o país’, ocorrido na terça-feira (30/9), o setor privado acredita em melhor desempenho da economia se houver mudança de governo.

Expectativa para Inflação, PIB e Câmbio em 2015

A pesquisa foi realizada em tempo real durante o evento, que contou com a presença média de 400 participantes. O perfil dos respondentes é de diretores, CEOs e altos executivos de empresas de todos os portes. De acordo com os participantes da enquete, se houver mudança de governo, a maioria (52%) acredita em melhora da situação econômica. Para 41% não haverá alteração, enquanto 8% acham que ela vai se deteriorar.

Em caso de reeleição da presidente Dilma Rousseff, 66% disseram que o desempenho da economia brasileira vai piorar. Outros 27% acreditam que a situação não vai se alterar, e 7% acham que ela vai melhorar.

Quando perguntadas sobre o efeito de uma eventual reeleição de Dilma sobre o faturamento das empresas, houve equilíbrio nas respostas. Dos respondentes, 40% responderam que ele será neutro (estável), enquanto 29% aposta em crescimento. Em contrapartida, 30% acha que haverá queda nas vendas.

Em caso de mudança no governo, 63% acreditam em vendas maiores. As vendas continuam estáveis para 32%, enquanto 5% acham que o faturamento vai cair.

Cenário macroeconômico

A PESQUISA 25

Questionados sobre a evolução da inflação, PIB (Produto Interno Bruto) e Câmbio para 2015, a expectativa não é das melhores,

A maioria (46%) acredita que a geração de riquezas se manterá no mesmo nível, e há equilíbrio entre os que acham que o PIB será maior no ano que vem (28%) e aqueles que afirmam que ele vai encolher (27%).

Mais da metade dos pesquisados (57%) acha que a inflação vai subir, e 38% acredita em estabilidade. Somente 5% responderam que os preços vão cair.

Em relação ao câmbio, 62% falam em crescimento. Quase um terço (32%) das respostas são de estabilidade, e 6% são de queda. Sobre a taxa Selic, 50% acredita em manutenção [em 11% ao ano], mas 45% responderam que ela vai subir e 6% fala em queda.

Empresas avaliam o cenário político-econômico

Do ponto de vista das empresas, a expectativa é de continuidade do crescimento. A maioria (57%) acha que os lucros seguem aumentando, mas 37% dos pesquisados consideram que o retorno será o mesmo que em 2014. O ano de 2015 será pior na opinião de 9% do total.

Os investimentos previstos para o próximo ano serão mantidos no mesmo nível de 2014, conforme 53% dos entrevistados. Cerca de um terço (35%) afirma que vai aumentar o nível de aportes, e 12% pretende frear o ritmo.

O maior foco de investimentos será em estratégias comerciais (canais de venda, promoção, ações cooperadas e descontos), de acordo com 33%. Ações para ganhos de produtividade (22%) e inovação (17%) vêm em seguida.

Desempenho operacional

Para construir o resultado de 2015, 53% das empresas vão manter o quadro de funcionários inalterado. Outras 23% querem aumentar o número de colaboradores, enquanto 24% delas pretendem enxugar o montante atual.

Em relação à participação de mercado, 57% mostraram otimismo e acreditam em expansão. 37% acham que se manterão estáveis em 2015, e 6% falam em queda.

Pouco menos da metade das empresas (49%) vai manter a produção inalterada, enquanto 41% fala em expansão industrial. Os 10% mais pessimistas responderam que sua capacidade operacional deve se reduzir em 2015.

A PESQUISA 24

faixa_face-1

O ministro do Turismo, Vinícius Lages, abriu na terça-feira o 26º Congresso Nacional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, o mais importante evento do país sobre alimentação fora do lar. O evento debate a gestão do negócio e os principais desafios do setor.

1,5 milhão de empregos formais

De acordo com Lages, que participou da cerimônia de abertura, a gastronomia foi um dos atrativos que contribuiu para tornar satisfatória a passagem dos estrangeiros pelo Brasil. O ministro defendeu um trabalho conjunto entre o governo federal e o segmento, no sentido de expandir a atividade, praticada essencialmente por pequenos empreendimentos.

Temos o desafio de buscarmos um consenso com o parlamento e o governo federal, para que entraves que ainda impedem uma competitividade maior do setor, uma das grandes forças do turismo nacional, possam ser superados”, afirmou. O segmento de bares e restaurantes contribui com 1,5 milhão de empregos formais, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego.

O presidente executivo da Abrasel, Paulo Solmucci Júnior, falou sobre a importância do segmento de alimentação fora do lar, responsável, segundo ele, por 50% dos empregos no turismo – e defendeu a flexibilização dos contratos de mão de obra com intervalos na jornada. “Temos que cuidar permanentemente para que nossa atividade seja cada dia mais competitiva”, disse.

Criação do registro único de empreendimentos

Já o ministro do Trabalho, Manoel Dias, informou que a pasta rediscute a questão e apontou a necessidade de atualização da legislação trabalhista. “Defendemos garantias aos trabalhadores, mas devemos permanentemente atualizar normas, a fim de que o país possa se desenvolver. Vamos ouvir todos os setores e, em 90 dias, queremos baixar novas normas”, adiantou.

O ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, que representou a presidenta Dilma Rousseff no evento, citou pontos da atualização da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que protegem negócios menores, como o critério de faturamento da empresa (até 3,6 milhões) e não mais a atividade, para adesão ao programa, facilidades à formalização de empresas e a criação do registro único de empreendimentos.

“Pela lei, toda norma que não leve em conta o tratamento diferenciado para micro e pequenas empresas, conforme determina a Constituição, não se aplica à micro e a pequena empresa”, afirmou.

A abertura do Congresso da Abrasel, que desde 2006 ocorre na capital federal, reuniu autoridades e convidados no Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada. As atividades do evento prosseguem até quinta-feira, com apresentações de chefs de cozinha e debates sobre gastronomia e marketing, entre outros assuntos.

faixa_face-1

Pesquisa indica que o Brasil tem 7% de tendência líquida de criar empregos – Peru tem 18%. A queda nas perspectivas trabalhistas brasileiras para o semestre está ligada ao momento das eleições. O Brasil é o país com as piores perspectivas no mercado de trabalho para o semestre na América Latina, de acordo com uma pesquisa divulgada no Panamá.

O pior desempenho na América Latina

A empresa de recursos humanos Manpower consultou 30 mil executivos da área em empresas de dez países do continente. A pesquisa indica que o Brasil tem 7% de tendência líquida de criar empregos (diferença entre empresas que pretendem aumentar o número de funcionários e as que prevêem reduções).

Esse percentual é o pior da América Latina, de acordo com a pesquisa, com margem de erro de 3,9%. “Os empregadores do país (Brasil) indicam as intenções de contratação mais fracas em comparação com toda a região das Américas, pela primeira vez desde que o estudo começou (em 2009)”, indica o relatório.

Segundo Herlinda Mendieta, gerente da Manpower e encarregada de apresentar o estudo, as causas dessa queda nas perspectivas trabalhistas brasileiras  estão ligadas ao fim da Copa do Mundo. “Para o Mundial, quem tinha que ser contratado já foi contratado” e, para os próximos meses, já não será necessário contratar esses funcionários temporários, disse Mendieta.

O Brasil perdeu 15 pontos em perspectiva de emprego em um ano, a maior queda entre os países estudados, e cinco pontos percentuais no último trimestre. Na outra ponta da lista está o Peru, com 18%, apesar de dois em cada três empresários peruanos enfrentarem dificuldades na busca por mão de obra qualificada. O Peru é seguido por Colômbia (16%), Costa Rica (16%), Panamá (15%), Estados Unidos (14%) e México (14%).

faixa_face-1

“Em 2016 teremos um ano melhor do que o de 2015, se o ajuste econômico for feito de uma vez. Se o ajuste for gradual, 2016 ainda será um ano difícil”, disse o presidente do GPA (Grupo Pão de Açúcar), Ronaldo Iabrudi, durante o evento Valor 1000.

Um ano de ajuste para o Pais

Para Iabrudi, o ajuste que o próximo presidente terá que fazer deverá abranger diversas áreas – do preço da gasolina à remuneração das empresas do setor elétrico. O Grupo Pão de Açúcar ainda não fechou o valor que irá investir em 2015, mas Iabrudi já sabe que será um montante superior ao deste ano. O número de lojas a serem abertas também será maior do que o deste ano, embora esteja prevendo um ano de ajuste para o País, independentemente de quem vença a eleição para presidente da República.

O segundo semestre deste ano também se mostra desafiador, disse o executivo: “Pensávamos que viria uma reação mais forte na linha branca em agosto, mas não veio.” Iabrudi defende um movimento que una varejo e fornecedores da indústria para que o mercado possa ser abastecido com produtos mais baratos e para que haja maior reação por parte do consumidor. “É melhor a indústria perder margem do que ficar produzindo pouco e seu custo subir muito”, disse.

faixa_face-1

Imaginem a dificuldade dos primeiros imigrantes japoneses que chegaram ao Brasil no Kasatu Maru, em 1908. Idioma, hábitos alimentares, modo de vida e diferenças...