Alimentação fora do lar Empreendedores apostam em startup para pessoas com restrições alimentares

Clube do Zero chega ao mercado oferecendo três opções de kits: zero açúcar, zero glúten e zero lactose. A cada quatro trabalhadores brasileiros, três querem ter o próprio negócio. O número de empreendedores do país cresceu mais de 40% nos últimos anos, segundo revela pesquisa da Endeavor, organização que identifica e viabiliza a continuidade sustentada dos negócios de alto potencial de crescimento.

Um modelo de negócio maduro na Europa e EUA

Necessidade pode virar um negócio lucrativo. A empreendedora Paula Cruz percebeu isso. “Durante anos precisei controlar o consumo de lactose. Sempre encontrava dificuldade na busca por alimentos adequados para essa minha necessidade. Com o nascimento da minha filha, que é alérgica a proteínado leite, o meu desafio ficou ainda maior”, comenta a sócia responsável pela gestão administrativa da empresa.

Para atender a esse perfil de consumidor, os empresários Daniel Walfrid e Julia Maciel juntaram-se a Paula e criaram o Clube do Zero. A empresa, pioneira no país, é especializada em entregar três opções de kits: zero açúcar, zero glúten e zero lactose para pessoas com restrição alimentar e demais interessados. O valor da assinatura é R$59,90 por mês e o cliente recebe em sua casa, mensalmente, uma caixa contendo de 8 a 12 alimentos que se encaixam em sua dieta. São doces, salgados, bolos, farinhas especiais, balas, sucos, vitaminas e snacks, entre outros itens selecionados pela equipe da startup.

Eles têm entre 30 e 33 anos e são motivados pela independência financeira e a realização pessoal. Decidiram fugir dos patrões e construir do zero o seu próprio negócio. Com sangue empreendedor correndo nas veias, Julia está iniciando sua terceira empresa, a primeira no universo on-line. Sua decisão vem ao encontro com a necessidade pessoal, pois este modelo lhe proporciona maior mobilidade.

Daniel é formado em Publicidade e Propaganda e está envolvido em projetos de consultoria desde 2008. Sua experiência no mundo dos negócios e na área de comunicação e marketing.  A escolha pelo modelo de negócio de assinatura recorrente foi feita depois de sua pesquisa de mercado, onde este modelo está maduro em países da Europa e EUA e ainda é uma novidade no mercado brasileiro.

Desde maio em atividade, o Clube do Zero passou por seis meses de planejamento e recebeu uma injeção de R$ 60 mil dos três sócios para começar a funcionar. De acordo com a expectativa dos empreendedores a empresa irá entregar mais de 50 mil caixas nos dois primeiros anos de operação. Com distribuição para todo Brasil, o Clube do Zero oferece frete gratuito para região Sul e Sudeste.

faixa_face-1

Você também pode se interessar por:

Deixe uma resposta