Alimentação fora do lar Alimentação Govinda vence concurso do Melhor PF do Brasil; conheça finalistas

Localizado em Belém, o restaurante ganhou com o prato maniçoba vegetariana, que custa R$ 20. O restaurante Govinda, de Belém, venceu o concurso Melhor PF do Brasil com o prato maniçoba vegetariana. “O prato é um sucesso. Servimos o prato há três anos. Em Belém só tem três restaurantes vegetarianos, dois são veganos e tem o nosso.

A gente faz com amor, tudo que é feito com amor dá certo. A maniçoba é um prato exótico e tem um sabor especial”, disse a proprietária Ivaneide Machado Gomes.

Segundo lugar

Em segundo lugar, ficou o Ponto X, do Maranhão com o prato mariscada com pargo grelhado e, em terceiro, o Canto Madalena, em São Paulo, com costelinha de tambaqui com baião de dois, farofa e banana da terra grelhada.

Os cinco finalistas de diversas regiões do País foram avaliados por sete jurados, nas categorias conceito, harmonia dos ingredientes, criatividade, visual, paladar, olfato e equilíbrio nutricional. A chef Ana Luiza Trajano fez parte do júri: “entre as condições estava ser um PF com ingredientes típicos brasileiros e custar até R$ 30”, disse.Os restaurantes vencedores levarão mais de R$ 100 mil em prêmios.

Segundo Ana Luiza, “o concurso estimula os estabelecimentos a valorizarem os ingredientes brasileiros, reforça nossa cultura e melhora a questão da pesquisa dos chefs em relação aos produtos locais”. É também através da utilização de matérias-primas regionais que se torna possível a criação de pratos sofisticados a baixo custo. “Um dos participantes tem um PF a R$ 8”, comentou a chef.

O PF escolhido pela paraense Ivaneide Machado Gomes chamou a atenção pela excentricidade e foi o terceiro apresentado na final. Vegetariana há 21 anos, ela e o marido criaram o Govinda em Belém há três anos. “Nosso restaurante é lacto-vegetariano”, disse. Entre os ingredientes da receita da maniçoba vegetariana, está a folha de maniva que precisa ser cozida por sete dias, pois tem um ácido venenoso. O prato se completa com proteína de soja, provolone, salsicha vegetariana, castanha-do-pará e castanha-de-caju. “O prato é um sucesso e por causa do concurso passamos a servir a maniçoba todos os dias”, contou. O PF custa R$ 20.

O clima na cozinha do Senac, onde os participantes prepararam os pratos para a degustação dos jurados, era tenso por volta das 12h. A ordem dos restaurantes foi definida por sorteio e o maranhense Ponto X, com a mariscada com pargo grelhado, abriu a sessão de provas. É a segunda vez que o estabelecimento chega à final – no ano passado também ficou em segundo lugar – e só a participação do concurso já impactou o movimento de clientes. “Se eu vendia 70 refeições antes, hoje vendo de 180 a 200”, comentou o proprietário Marcelo Rios, ansioso pelo resultado.  O prato é vendido a R$ 10.

“Começamos a receber clientes de outras cidades que iam até Pedreira (cidade onde fica o Ponto X) só para experimentar a mariscada e o peixe crocante, que concorremos no ano passado”, disse Rios. A participação impulsionou o negócio a ponto de ele e o sócio Rafael Bruno abrirem nova unidade no município. “Com o concurso passado, obtive conhecimento gastronômico. Já tínhamos a mariscada e o pargo grelhado no cardápio, então, pensei em unir os dois. É um prato elaborado e totalmente típico do Maranhão”, comentou o chef. A receita inclui camarão, sururu, carne de caranguejo, patinha de caranguejo, pargo, salada com brócolis, couve-flor, cenoura e molho para salada.

O segundo prato preparado para a degustação foi pernil com arroz, farofa de cuscuz com bacon, baião de dois e legumes, do restaurante Floresta, localizado em Fortaleza. “O segredo dele é a marinada com limão e sal, depois damos uma queimada na panela e puxada com alho, colocamos gengibre e mostarda e deixamos cozinhar um pouco. Depois levamos ao forno”, contou o responsável pelo prato, Marcelo de Souza Santos. Para ele, após a participação do concurso deve acontecer um “boom” no movimento do restaurante.

O quarto participante, apesar de ser de um restaurante de São Paulo, apresentou um prato típico de Pernambuco. Maria de Souza Cruz, chef do Feijão do Norte, serviu arrumadinho aos jurados. “É um prato bem brasileiro, com feijão de corda, temperado com sal, pimenta do reino e manteiga de garrafa. Acompanhado de arroz branco, bacon, linguiça e carne seca fritos separadamente e envolvidos todos no mesmo lugar, por isso que chama arrumadinho”, contou Maria. A receita ainda leva vinagrete com tomate, cebola e pimentões verdes e amarelos. “Vendemos uma média de 80 arrumadinhos por dia”, estimou a chef sobre o prato que custa R$ 20,90.

Costelinha de tambaqui com baião de dois, farofa e banana da terra grelhada fecharam o concurso. O PF criado pelo responsável pela cozinha do Canto Madalena, Hugo Batista, e a dona do estabelecimento custa R$ 19. “O destaque é o tempero que improvisamos e deu certo, antigamente era só pimenta e sal, agora a gente acrescenta gengibre, alho e raspa de limão. Deu certo lá no restaurante e os pedidos aumentaram bastante”, afirmou Batista. Segundo organizadores, uma nova edição do concurso deve acontecer

faixa_face-1

Deixe uma resposta