Números do Setor Índice de consumo das famílias cai 9,1% em junho

Segundo a FecomercioSP, o segundo semestre do ano ainda será de grandes dificuldades para os consumidores. Pelo oitavo mês consecutivo, o ICF (Índice de Intenção de Consumo das Famílias) registrou queda e atingiu, mais uma vez, o pior nível histórico desde janeiro de 2010.

Consumidor vai manter o consumo básico

Em junho, o indicador marcou 81,7 pontos, retração de 9,1% em relação a maio e de 26,3% no comparativo anual. Trata-se da maior queda interanual da série histórica. O índice é apurado mensalmente pela (FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) e varia de zero a 200 pontos, no qual abaixo de cem pontos significa insatisfação e,  acima de cem pontos, satisfação em relação às condições de consumo.

Segundo a assessoria econômica da Federação, a alta da inflação e dos juros aliados à falta de perspectiva da recuperação da economia fez com que as famílias perdessem fortemente o poder de compra. Com isso, os consumidores preferem manter o consumo básico e buscam na poupança uma saída para equilibrar as contas.

A estimativa da entidade é que para os próximos meses o consumo permaneça em baixa, além de atingir novos recordes ao invés de uma reversão do cenário. Portanto, o segundo semestre do ano será de muita dificuldade para as famílias, pois com inflação e desemprego crescendo e sem perspectiva de melhora, o alerta máximo para as finanças continuará ligado e, assim, manterá o indicador nessa área de insatisfação.

faixa_face-1

Deixe uma resposta