Indústria da Alimentação Indústria Laticínios do Sul querem criar associação para negociar melhor com supermercados.

As indústrias de laticínios do sul do País pretendem criar uma associação para negociar melhor com supermercados e ganhar maior poder de barganha nas negociações com as grandes redes de auto-serviço. Os sindicatos das indústrias de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul já estão se articulando para atuar em conjunto. Segundo Darlan Palharini, secretário executivo do Sindilat-RS, a principal queixa do setor é que os grandes supermercados forçam as indústrias a baixar as tabelas do leite longa-vida (UHT) para fazer promoções agressivas e estimular a venda de outros lácteos. Em alguns casos, ele explica, o valor chega a níveis inferiores aos custos de produção. Com isso, as indústrias não conseguem repassar os aumentos dos preços dos insumos e das matérias-primas às redes.

A nova entidade vai buscar a criação de um “marco regulatório” para evitar distorções de preços no setor. Palharini não revela valores absolutos, mas afirma que os preços do leite UHT vendido pela indústria para o atacado e o varejo permaneceram estáveis ao longo deste ano no RS. Já o preço pago ao produtor subiu 8,6% de janeiro a novembro, segundo a Agas (Associação Gaúcha de Supermercados). Além disso, o valor médio por litro cobrado do consumidor passou de R$ 1,70 para R$ 1,83 nos supermercados.

Antônio Cesa Longo, presidente da Agas, diz que se a nova associação tiver como único objetivo “forçar o aumento de preços” do leite, ela vai se “frustrar”. De acordo com ele, os valores são estabelecidos de acordo com “a oferta e a procura”.

Deixe uma resposta