Alimentação fora do lar Alimentação O que é um vinho Porto

Você já deve ter ouvido falar em Vinho do Porto. Este é um dos mais antigos e prestigiosos vinhos do mundo, cujo nome vem da cidade do Porto, no norte de Portugal.

O que diferencia o Porto de outros vinhos é que ele é fortificado, leva uma adição de aguardente vínica. Todo vinho é feito através de uma fermentação alcoólica, quando leveduras transformam o açúcar natural da uva em álcool, resultando normalmente em vinhos secos e com álcool em torno de 13-14%.

No vinho do porto é diferente. No meio da fermentação, quando o vinho está com cerca de 10% de álcool, adicionam o equivalente a cerca de 10% de aguardente vínica, elevando o teor alcoólico para 20% e ao mesmo tempo interrompendo a fermentação, matando as leveduras e deixando o vinho ainda com cerca de 100 gramas de açúcar natural.

Resultado: o Porto é vinho doce e alcoólico, forte e imponente.  Como diz um provérbio português:“Todo vinho seria Porto se pudesse.”

Classificação dos vinhos

Existem cinco tipos distintos de vinhos: os vinhos tintos, os brancos, os rosés, os espumantes, e os vinhos fortificados. Em Portugal existe um tipo de vinho específico, o vinho verde, que pode ser tinto ou branco, mas devido à sua acentuada acidez pode ser considerado como uma categoria à parte.

Os vinhos tintos podem ser obtidos através das uvas tintas ou das tintureiras (aquelas em que a polpa também possui pigmentos). Os vinhos brancos podem ser obtidos através de uvas brancas ou de uvas tintas desde que as cascas dessas uvas não entrem em contato com o mosto e que essas não sejam tintureiras. Já os vinhos rosés podem ser feitos de duas maneiras: misturando-se o vinho tinto com o branco ou diminuindo o tempo de maceração (contato do mosto com as cascas).

O espumante é um vinho que passa por uma segunda fermentação alcoólica, que pode ser na garrafa, chamado de método tradicional ou champenoise, ou em auto-claves (tanques isobarométricos) chamados charmat. Ambas as formas  fazem a fermentação em recipiente fechado, incorporando assim dióxido de carbono (CO2) ao liquido e dando origem às borbulhas ou pérlage.

Os vinhos fortificados são aqueles cuja fermentação alcoólica é interrompida pela adição de aguardente (~70% vol). De acordo com o momento da interrupção, e da uva que está sendo utilizada, ficará mais ou menos doce. O grau alcoólico final dos vinhos fortificados fica entre 19-22% vol. Os mais famosos são o Vinho do Porto (Portugal), o Vinho da Madeira (Portugal), o Xerez (Espanha) e o Marsala (Sicília).

Por conta de obras cinematográficas de parca pesquisa histórica, a maioria das pessoas julga que o consumo do vinho era comum no Egito e há quem diga que é de lá sua obscura origem. Entretanto o vinho era mercadoria importada pelo Egito, cuja bebida nacional era a cerveja, normalmente feita de restos de pães.

No Brasil os vinhos são classificados quanto à classe:

De mesa: graduação alcoólica de 10° a 13° G.L., possui as seguintes subdivisões:

Finos ou Nobres: Vinhos produzidos somente de uvas viníferas.

Especiais: Vinhos mistos, produzidos de variedades viníferas e uvas híbridas ou americanas.

Comuns: Vinhos produzidos predominantemente com variedades híbridas ou americanas.

Frisantes ou Gaseificados: Vinhos com gaseificação mínima de meia atmosfera e máxima de duas atmosferas.

Leve: graduação alcoólica de 7° a 9,9° G.L., elaborado sempre com uvas viníferas.

Espumante: resultante unicamente de uma segunda fermentação alcoólica , possui alto nível de dióxido de carbono, resultando em borbulhas (graduação alcoólica de 10° a 13° G.L.). champanhe – É um espumante feito essencialmente com as uvas Chardonnay e Pinot Noir, mundialmente conhecida, produzida exclusivamente na região homônima na França. Champagne é uma denominação de origem.

licoroso: graduação alcoólica de 14° a 18° G.L. Adicionado, ou não, de álcool potável, caramelo, concentrado de mosto e sacarose.

Composto ou fortificado: graduação alcoólica de 15° a 18° G.L., obtida pela adição ao vinho de plantas amargas ou aromáticas, substâncias de origem mineral ou animal.

Enologia:

Enologia é a ciência que estuda todos os aspectos relativos ao vinho, desde o plantio, escolha do solo, vindima, produção, envelhecimento, engarrafamento e venda.

Existem pouquíssimas faculdades de enologia, estando as principais na França e Itália. Em Portugal a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro ministra a única Licenciatura em Enologia deste país. Na América do Sul, segundo alguns, a melhor delas localiza-se em Mendoza, Argentina. No Brasil existem quatro, sendo que a unica que oferece bacharelado em enologia é a Universidade Federal do Pampa- Campus de (Dom Pedrito) ,e as outras três instituições oferecem curso na graduação de tecnologo e tecnico em enologia, sendo uma em Bento Gonçalves (Rio Grande do Sul), outra em Petrolina (Pernambuco), ambas oferecidas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFET), e a terceira é oferecida pela Universidade Federal de Pelotas.

A enologia é uma ciência moderna que reúne o conhecimento científico sobre as diversas áreas para se estudar as questões relacionadas com o vinho. As disciplinas de base para a formação do enólogo incluem a entomologia, fisiologia, matemática, estatística, geologia, botânica, microbiologia, física, marketing, economia, climatologia, química, entre outras. Além das disciplinas voltadas para a prática da enologia como a vinificação, viticultura, marketing de vinhos, operações unitárias relacionadas a elaboração do vinhos, controle de qualidade e análise sensorial.

Não confundir com viticultura, que estuda somente o cultivo da uva para o vinho e vinicultura, que concentra os aspectos culturais em torno do vinho. Curso de enologia

4 - ENOLOGIA

Deixe uma resposta