Diversos Renda média do trabalhador recua pelo 5º mês seguido

Dois indicadores divulgados mostram que a renda dos trabalhadores brasileiros e seu poder de compra foram reduzidos no primeiro semestre deste ano. Por um lado, subiu a proporção de acordos salariais que ficaram abaixo do INPC (índice de inflação usado nas negociações), enquanto caiu a porcentagem das categorias que conseguiram superá-lo.

Por outro lado, a renda média real, pesquisada pelo IBGE, teve em julho a quinta redução consecutiva, ao recuar 0,9% ante junho.

Correções salariais menos generosas ou mesmo abaixo da inflação são um dos motivos para essa redução na renda média, segundo Cimar Azeredo, coordenador de trabalho e rendimento do IBGE.

Negociações

A aceleração dos índices de inflação é um dos motivos que dificultaram as negociações de reajustes salariais, segundo José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de relações sindicais do Dieese.

“Em maio deste ano, o INPC acumulado era de 7,16%. Em maio de 2012, era 4,88%”, exemplifica. “Esse é um fator decisivo para os reajustes, além do baixo crescimento econômico e da questão cambial, que afeta os negócios de determinadas atividades das empresas.”

O levantamento feito pelo Dieese mostra que, do total de 328 acordos analisados, 8,5% não conseguiram sequer zerar as perdas da inflação nos salários, maior nível desde 2008. No primeiro semestre de 2012, esse percentual havia sido de apenas 0,9%

Deixe uma resposta