Números do Setor Salário mínimo terá a menor alta do Plano Real, se confirmar a...

De acordo com as previsões oficiais, o piso salarial irá dos atuais R$ 678 para R$ 722,90 em 1º de janeiro de 2014, no último aumento do atual mandato presidencial. Desta forma o salário mínimo acumulará, no governo Dilma Rousseff, a menor valorização desde o início do Plano Real

Ainda que o valor seja arredondado, o ganho não será mais do que 0,9% superior à variação do INPC (índice de inflação que é referência para o mercado de trabalho) neste ano.

Com o reajuste recém-programado no projeto de Orçamento de 2014, o salário mínimo fechará o governo Dilma com aumento real (acima da inflação) de 11,9%, equivalente a uma média anual de 2,8%.

São números bem mais modestos que os celebrados pela presidente em sua campanha eleitoral, em 2010, quando o PT destacava, às vezes com números inflados, as conquistas dos anos Lula. Considerados os reajustes anuais concedidos, com o desconto da inflação acumulada desde o aumento anterior, o antecessor de Dilma elevou o mínimo em 53,5% ao longo dos dois mandatos – o equivalente a 5,5% ao ano.

Ainda assim, ficou longe da promessa, feita em sua primeira campanha vitoriosa ao Planalto, de dobrar o poder de compra do mínimo em apenas quatro anos. Mesmo o tucano FHC, que não adotou políticas nem metas de valorização, presidiu um ganho real de 44,5% (média de 4,7% ao ano) do piso salarial, que era de meros R$ 70 em 1994, no lançamento da atual moeda.

Durante o tucanato (1995 a 2002), os dois maiores reajustes foram concedidos mais por pressão do Congresso Nacional do que por iniciativa do Executivo, em 1995 e 2001.

Deixe uma resposta